35 ANOS DE MISSÃO!

Começamos com não mais de 15 pessoas em nossa casa, numa noite de oração, terça-feira, maio de 1979. Seguiu o registro por lei da Comunicação e Missão Cristã (CMC), com o propósito de comunicar, na cidade e fora dela, o evangelho do Reino de Deus, conforme a doutrina dos apóstolos.

O amor de Deus nos fez sobreviver e chegar até aqui, ocasião da comemoração dos 35 abençoados anos de missão e da coincidente inauguração do novo salão de reuniões na cidade de Bauru, depois de 20 anos reunidos na “tenda azul e branca”, na Avenida Nações Unidas, e de vários anos no salão da bela e acolhedora chácara da CMC. O que enche nossos corações de alegria e gratidão ao Altíssimo, por tudo o que experimentamos e vivenciamos nesse marcante e inesquecível tempo de serviço que Deus nos permitiu em sua seara, sob a cobertura apostólica de Cristian Romo e de Jorge Himitian.

De um lado, pelas duras e tremendas provações experimentadas, as lutas e os sofrimentos nada fáceis, que com paciência suportamos, reconhecidos de que isso foi o que aguçou a nossa fé e nos levou à permanência em Cristo, possibilitando-nos o aprendizado de um novo estilo de vida, como o discipulado, o Senhorio de Cristo, missões, plantação de igrejas, o serviço social da Casa da Esperança, com centenas de crianças e famílias pobres, a escola infantil por princípios bíblicos, a Escola de Ministérios e Missões (EMM), a preparação da liderança que definirá a igreja do futuro, pela sua competência, coragem, poder de decisão clara e caráter.

Por outro lado, pelas tremendas vitórias a nós atribuídas no exercício do ministério pastoral concedido à igreja local: a nós, a nossa esposa e filhos, aos obreiros, perfazendo 20 presbíteros locais, 10 cooperadores, 30 diáconos e diaconisas, e dezenas de líderes e co-líderes de pequenos grupos nas casas.

Levando-nos à formação de pessoas que oram, à orientação semanal dos “parceiros de oração”, ao incentivo de toda a igreja na participação das reuniões de oração semanais e nas vigílias. Levando-nos, também, ao testemunho da vivência da sujeição e da autoridade espiritual entre as lideranças.

E pelas mais diversas e maravilhosas bênçãos que generosamente fomos agraciados também com o Ministério Translocal na região, em vários estados e nações! O que levou-nos a fazer parte da AFI (Apostolic Fellowship International), com a visão que nos guia:

A – Relações – com homens com um ministério apostólico em vários países;

B – Estabelecimento de redes – que, de um “grupo central” vá crescendo, em sua visão e esforços em todo mundo, dentro de um nível apostólico;

C - Comunicação – que possa desenvolver uma comunicação através do uso das tecnologias disponíveis;

D - Unidade – que, através desta relação e cooperação que já estão acontecendo, a meta da unidade do Corpo de Cristo seja implantada e acelerada.

Terminamos dizendo que se nos dedicarmos ao ministério a nós concedido por nosso Senhor Jesus Cristo, seremos uma igreja que, por certo, deixará a população de nossa cidade e bairros melhor do que a encontramos! Amém!

Abílio Chagas